Google+ Followers

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

PNAD 2012

Dados da Pnad são animadores e mostram que país está muito melhor, diz ministra


A Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios 2012 (Pnad), divulgada nesta sexta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), anima o governo e mostra que o país e sua população estão “muito melhor”, disse a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, no Palácio do Planalto. Para ela, o Brasil continua avançando em todos os indicadores estratégicos.
Quanto à taxa de analfabetismo, que, segundo a pesquisa, aumentou de 8,6% (12,9 milhões de pessoas) em 2011 para 8,7% (13,2 milhões de pessoas) no ano passado, a ministra considerou uma variação da própria amostra. “Nossa avaliação é que não houve aumento da taxa de analfabetismo, e sim que ficou estável e que temos de continuar avançando.”
A ministra manifestou entusiasmo com os dados referentes à taxa de emprego e ao aumento de renda da população. “Se olharmos para o mundo, [veremos que] no trabalho, temos dados absolutamente fantásticos. Cai o desemprego e aumenta o rendimento real em todas as regiões.” De 2011 para 2012, o Brasil registrou queda de 6,7% para 6,1% na taxa de desemprego. O rendimento médio mensal do trabalhador brasileiro chegou a R$ 1.507 em 2012, com ganho real de 5,8% em relação aos R$ 1.425 de 2011, reajustados pela inflação.
Tereza Campello comemorou também a queda de 23% no trabalho infantil, na faixa etária entre 10 e 13 anos, e disse que o país tem bons números para apresentar na 3ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil, de 8 a 10 de outubro, em Brasília. “Poderemos abrir a conferência com números muito impressionantes. O trabalho infantil despencou em todo o Brasil”, afirmou a ministra.
Segundo Tereza Campello, o governo ainda analisará os microdados da Pnad e fará uma avaliação mais aprofundada na próxima segunda-feira (30).
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 
A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD investiga anualmente, de forma permanente, características gerais da população, de educação, trabalho, rendimento e habitação e outras, com periodicidade variável, de acordo com as necessidades de informação para o País, como as características sobre migração, fecundidade, nupcialidade, saúde, segurança alimentar, entre outros temas. O levantamento dessas estatísticas constitui, ao longo dos 44 anos de realização da pesquisa, um importante instrumento para formulação, validação e avaliação de políticas orientadas para o desenvolvimento socioeconômico e a melhoria das condições de vida no Brasil.


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Geologia e Geomorfologia

Vídeo mostra momento em que terremoto forma ilha no Paquistão


Trecho rochoso elevou-se acima do nível do mar e assustou moradores; tremor causou centenas de mortes no país

Uma ilha de aproximadamente 214 metros de extensão e 16 metros de altura emergiu no litoral do extremo sudoeste do Paquistão após o terremoto de 7,7 graus que sacudiu essa região do país ontem e causou a morte de centenas de pessoas, informou nesta quarta-feira à Agência Efe uma fonte oficial.
Segundo Tufail Baloch, vice-diretor administrativo de Gwadar - a cidade mais próxima -, a ilha emergida a cerca de 200 metros da costa foi visitada hoje em uma primeira missão de exploração. Uma equipe de especialistas de Islamabad também já foi encaminhada à região para analisar a nova ilha.
A percorremos toda sua área e me pareceu estável", declarou Baloch, um dos envolvidos nesta primeira missão de exploração. De acordo com o vice-diretor administrativo de Gwadar, a equipe técnica que virá da capital ficará encarregada de um estudo mais técnico.
O funcionário também explicou que os antigos habitantes da região afirmam que uma ilha semelhante também emergiu próxima à costa depois de um terremoto registrado na região em 1935. "Aquela ilha desapareceu dez anos depois de repente e de maneira misteriosa e, por isso, as autoridades não descartam algo similar", apontou.
Veja o vídeo:
http://terratv.terra.com.br/Default.aspx?cid=488315

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/asia/ilha-emerge-a-200-metros-da-costa-apos-terremoto-no-paquistao,e371149c23251410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Espaço regional

Talibanização pilchada

O verdadeiro gaúcho: Lanceiro negro

Por Tau Golin
Periodicamente, em setembro, a cidadania republicana é ameaçada por algumas cargas da arrogância metegista. Neste ano, por exemplo, entre todas as imposturas, o MTG pressionou as prefeituras para adotar o seu projeto de educação tradicionalista nas escolas. Ouvi, por exemplo, que o prefeito de Passo Fundo anda com o pala em tiras, em razão das investidas da patrona da 7ª Região Tradicionalista. No passado, em uma sesteada da Câmara de Vereadores, sem que se fizesse a discussão sobre o capital simbólico do município com toda a representação cultural e intelectual, foi aprovada a lei  municipal  2.830/1992. De inspiração nazi-fascista, simplesmente obriga a prática e a doutrinação tradicionalista na rede de ensino municipal. Se fosse o estudo do tradicionalismo não teria problema. Isto é feito na Universidade, por exemplo. Seria apenas mais um objeto, o esforço educativo para compreender um fenômeno associativo-cultural.
Mas a lei e a patrona querem que os tradicionalistas ocupem as Escolas e transformem os alunos em gadinho alienado, ungidos pela aguilhada da padronização, fiquem pequenos talibazinhos pilchados pelos dogmas da visão particular sobre a história do MTG, sobre a sua prática de cultura e, pior, que se convertam em gurizada autômata da celebração do calendário cívico-pilchado que consagraram.
Nesta violação pedagógica, o MTG quer implantar a ferro “o Programa Permanente de Fomento a Tradição e Folclore junto à Secretaria Municipal de Educação”, através de um sistema de adestramento, que tem “o objetivo de despertar nos alunos o gosto pelo folclore, conhecendo, valorizando e vivenciando o folclore rio-grandense, nas diversas manifestações.” Aqui, os termos “tradição” e “folclore” são táticas ilusionistas para a implantação da visão particularizada do tradicionalismo. Aparentemente é algo puro, bucólico, terrunho, já que pretende mesmo, conforme seu Art. 2º, é ocupar “todas as escolas municipais, através de atividades extracurriculares”, preenchendo o tempo dos alunos com “danças folclóricas”, desde que chanceladas pelo MTG, o “fandango gaúcho, interpretação de poesias e de declamações; iniciação ao movimento tradicionalista gaúcho (sic!) com embasamento literário; formação de invernadas artísticas e concursos anuais com premiação.” Tal pedagogia é claríssima. Doutrinar e, depois, premiar, a recompensa para quem seguir as regrinhas determinadas de fora, em que o aluno abdique de escolhas, pois (Art. 3º) “o programa será acompanhado sistematicamente visando avaliar o crescimento cultural do alunado.”
Escola é lugar para estudar e compreender. É o espaço público, laico e republicano. Celebração e culto dogmático e particularizante é em CTG e igreja. A escola é lugar de ilustração. À catequese, prevê o contrato constitucional, reserva-se os ambientes “particulares” de fé. Escola tem uma função educacional, não é a casa da mãe-joana para ser retalhada e invadida pelas “forças” sociais. A educação tem princípios emanados no esclarecimento.
Na última década, historiadores, jornalistas, educadores, tem procurado fortalecer os princípios republicanos, a laicidade brasileira. Identificado o ódio elevado como imanência dos credos, dos dogmatismos. Consubstanciam a intolerância que periga sobre a nação multicultural enraizada no Brasil.
São por fatos cotidianos como a investida da patrona nas instituições públicas, calcando a lança da ignorância no peito do prefeito, que o tradicionalismo é identificado como exemplo antirrepublicano, arrogante, uma instituição particular que tem a ambição de ser “modelo a toda terra”. Que não perde tempo e manipular as leis em seu proveito…
Manifesto contra o tradicionalismo, expressão de centenas de pessoas indignadas contra as usurpações metegistas, disponível na internet, já esclareceu suficientemente que o MTG é uma entidade privada que pretende se consagrar como “cultura oficial”, invadiu instituições, domina espaços do Estado-governo e possui reservas vitalícias nos órgãos públicos. Além disso, arrecada considerável verba que pertence à poupança do povo, para os seus eventos. Invadiu a escola para converter os alunos ao seu culto, quando a educação republicanamente é o espaço do saber, do estudo.
Mais que justificadamente, os signatários do Manifesto postulam por uma CPI na Assembleia Legislativa. O MTG é uma espécie de TFP tolerada, camuflado na ilusão da identidade gauchesca. Urge que se realizem audiências públicas no Conselho de Educação, para discutir pedagogicamente a ameaça à escola pública provocada pelo cetegismo, que conta com a militância de diretoras-prendas nos planos de ensino e a patronagem sobre os professores, com o desejo de transformá-los em preposto de CTG. Também no Conselho de Cultura são aprovados inúmeros projetos de lazer e turismo tradicionalista para captação de verbas pela LIC. Além da usurpação direta, o MTG tem diversos subterfúgios para sua arreada das verbas e espaços públicos.
Em Passo Fundo também está na hora de auferir a usurpação do público pelo MTG.
Por essas questões, o Manifesto é, em seu conjunto, a defesa da cidadania, da democracia, das relações republicanas e da liberdade cultural. No extremo, representa um movimento da ilustração contra o fundamentalismo. Sua intenção é não deixar que um movimento de caráter privado usurpe as esferas públicas e atropele o civismo, ocupe o imaginário e substitua as identidades pelo “tipo gauchesco clubístico citadino” e o “legitime” como modelo regional hierarquicamente superior às contribuições das demais etnias. Principalmente em Passo Fundo, de gentílico caboclo, onde nunca existiu historicamente o grupo social gaúcho.
É neste contexto que o Manifesto, de certa forma, é sucedâneo a uma enorme literatura e posturas públicas já conhecidas, e que vem conseguindo fortalecer as particularidades culturais inter-regionais, demonstrando que o MTG é um movimento militante ideológico-cultural, cada vez mais fundamentalista e intolerante, que procura converter-se em um poder dentro do Estado, invariavelmente pressionando, quando não elegendo governantes sem universalidade.
Muitas pessoas já se deram conta isso. Quase todas têm uma experiência para relatar. O próprio gauchismo tem procurado formas alternativas de associação, sem a necessidade de reproduzir a estrutura da estância escravocrata. Reúnem-se em piquetes, em centros de cultura gaúcha, em ciclos, em grupos etc. Cada vez é mais forte a percepção que tradicionalista não significa necessariamente gaúcho; e, muito menos, rio-grandense. Particularmente, em Passo Fundo, é uma invenção imitativa, aparentemente bucólica, mas que se transformou neste perigo agauchador de indivíduos artificiais, clubísticos, que se reinventam pelas técnicas da pós-modernidade, onde o parecer-ser imagético sufoca a tradição, o folclore e a cultura popular.
Os CTGs transformaram-se nas piras imoladoras dos avós. Exterminadores de memórias, de práticas humanas e reais dos antepassados, inclusive dos tradicionalistas. Onde o caboclo? Onde o mestiço? Onde povoadores? Onde os bravos pioneiros? Onde os conflitos, os direitos e disputas, na formação social do Planalto Médio? Tudo sucumbe e se perde neste pucherão acéfalo do civismo metegista. Ninguém mais tem passado real. A identidade é uma escolha na cartilha do MTG. A vida é substituída pela forja do CTG.
Distantes do mundo real da campanha, nas regiões de hábitos autênticos do povo concreto, mestiço, caboclo, interétnico etc., onde se encontra o capital simbólico, há um sentimento (e muitos o verbalizam) de que o tradicionalista, ao menos estilisticamente, é a carnavalização do gauchismo. Tem forte componente da indústria cultural, não necessita da experiência da territorialidade. Ele é uma agremiação estilística que, no seu limite, chega ao fundamentalismo. Escreveu alguns manuais encíclicos e pretende convertê-los em práticas litúrgicas da sociedade. Em seu fanatismo, brande sua projeção ilusória sobre o mundo, peita prefeitos, condena a imolação secretários independentes e que não rezam pelas suas cartilhas.
Nessa imanência da arrogância, atropela a ordem republicana, e pretende cetegizar o ensino e a sociedade.
Abaixo a talibanização pilchada dos estudantes!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Dilma Rousseff fortemente aplaudida na Assembleia da ONU

"É um sério caso de violação dos direitos humanos e desrespeito à soberania", diz Dilma sobre espionagem


Presidente Dilma, na ONU

Batendo forte na tecla da espionagem, Dilma Rousseff foi fortemente aplaudida ao abrir na manhã desta terça-feira a 68ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York.
No discurso, a presidente mostrou veemente indignação com a violação da soberania do Brasil e dos direitos humanos e civis da população com a espionagem.
Dilma saudou os presentes mostrando-se condoída com o atentado de uma milícia jihadista somali a um shopping center no Quênia:
— O terrorismo, onde quer que ocorra e venha de onde quer que vier, sempre merecerá nossa condenação inequívoca — disse.
Logo, passou à questão da espionagem.
— Jamais pode o direito à segurança de um cidadão de um país ser garantido mediante à violação de direitos civis de cidadãos de outros países — criticou.
E afirmou que não vê argumentos que justifiquem a intervenção americana em assuntos privados de governo algum:
— Não se sustentam argumentos de que a interceptação ilegal de comunicações e dados destina-se a proteger a segurança dos cidadãos de uma nação.
Para Dilma, é inaceitável que ações como essa, qualificadas por ela como ilegais, "tenham curso como se fossem normais".
Encerrando o tópico, a presidente lembrou de sua luta contra arbitrariedades durante a ditadura e falou que não há soberania sem liberdade de expressão. Prometeu apresentar um marco civil para o uso da internet e pediu à ONU que regule o comportamento dos Estados sobre a tecnologia.
Assembleia geral da ONU
Passando à economia, "ainda frágil", a presidente frisou a importância do bolsa família e a erradicação crescente da miséria no Brasil:
— O combate à pobreza, à fome e à desigualdade são o maior desafio do nosso tempo.
No discurso, Dilma também elogiou as manifestações de junho. Para a presidente, as manifestações "fazem parte do processo de formação da democracia":
— Os manifestantes não querem voltar ao passado, mas defender seus direitos. Sabemos que democracia gera desejo de mais democracia e a qualidade de vida desperta anseio de mais qualidade de vida — disse ela.
Sobre a Síria, a presidente destacou a necessidade de diálogo para a solução do conflito:
— É preciso calar a voz das armas, convencionais ou químicas, dos rebeldes ou do governo.
Por isso, disse rejeitar intervenções unilaterais como a proposta pelos Estados Unidos, que "aumentariam a tensão na região e aumentam o sofrimento do povo", e apoiou o acordo obtido entre EUA e Rússia para a eliminação das armas químicas no país:
— O governo sírio deve cumprir o acordo integralmente, com boa fé e ânimo cooperativo.
Secretário-geral admite fracasso da instituição na mediação do conflito sírio
Na abertura da sessão, o secretário-geral da instituição, Ban Ki-moon, destacou a importância da reunião:
— Não estamos aqui para preservar o status quo, mas para discuti-lo.
Depois de abordar questões de sustentabilidade e compromissos ambientais, Ban frisou a necessidade de se resolver a questão síria e fez um apelo para a comunidade reunida:
— Não podemos nos sentir satisfeitos com a destruição das armas químicas enquanto uma guerra mais ampla está destruindo a Síria. Uma geração perdida de jovens agora enche os campos de refugiados. Genebra 2 deve acontecer o mais rápido possível, para que se termine a violência e o sofrimento do povo sírio.
E admitiu uma "falha sistêmica" na repressão ao regime de Bashar al-Assad, ao afirmar que os países membros das Nações Unidas não apoiaram medidas contra a Síria e que a própria organização não teve os meios para agir contra o genocídio que já vitimou mais de 110 mil pessoas. Após o mea culpa, instou os países membros a fortalecerem a ONU:
— Vamos fortalecer as Nações Unidas para ser mais do que um primeiro-socorro ou um último recurso.

Novo aeroporto no RS

Novo aeroporto será construído no limite de Nova Santa Rita e Portão


O Aeroporto 20 de Setembro será construído no limite dos municípios de Nova Santa Rita e Portão, na Região Metropolitana de Porto Alegre, segundo o anunciado, nesta segunda-feira (23), no Palácio Piratini, pelo Comitê que trata da construção do aeroporto. O projeto foi apresentado pelo diretor do Departamento Aeroportuário do Estado (DAP), Roberto Carvalho Netto.  Com essa definição, o governo gaúcho põe fim a um impasse com a Aeronáutica, que alegava problemas de tráfego na região do V Coimando Aéreo Regional (V Comar).
O secretário de Infreaestrutura e Logística, Caleb de Oliveira, que preside o Grupo de Trabalho do Executivo pró-Aeroporto 20 de Setembro, afirma que a definição do local é importante porque permitirá que o Estado dê continuidade às tratativas, “especialmente com a União e a iniciativa privada, para encontrar maneiras de viabilizar o aeroporto”.
Segundo o secretário o novo aeroporto deverá ter duas pistas, permitindo decolagens e aterrissagens simultâneas. Terá, também, um terminal de passageiros com padrão internacional. O local, de 1,7 mil hectares, permitirá amplia o número de pistas. “Não adianta fazermos um aeroporto de primeira linha neste momento se depois, como acontece com o Salgado Filho, não tiver área que se permita construir uma nova pista ou um novo terminal”, afirmou Caleb.
Modelagem econômica
Durante viagem de missão do governo do estado à China será tratada da modelagem econômica do aeroporto. Na Chia, serão buscadas parcerias com empreendedores e financiadores.
O modelo adotado para a construção do aeroporto na Região Metropolitana tem como referência o aeroporto de Atlanta, nos Estados Unidos, um dos mais movimentados do mundo com 90 milhões de passageiros por ano. “Dentro dessa política adotada pelo setor aeroportuário do Estado, de planejarmos para o futuro, não podemos fazer obras apertadas , pois daqui a dois ou três anos se conclui que é insuficiente e não tem para onde ir”, declarou Carvalho Netto.


domingo, 22 de setembro de 2013

Geografia Física

Conheça as paisagens do Grand Canyon


Localizado no estado do Arizona, o turista deve reservar três dias para visitar o Grand Canyon
No norte do Arizona encontram-se diversos pontos turísticos conhecidos mundialmente, entre eles o magnífico Grand Canyon. Muitos visitantes, no entanto, não sabem tudo o que o lugar pode lhes oferecer, como as paisagens distintas e inspiradoras nas diferentes entradas do parque, as muitas aventuras ao ar livre para aqueles que gostam de adrenalina ou ainda as experiências mais indicadas para grupos e famílias.
O Grand Canyon pode ser acessado por três diferentes entradas, chamadas de Rims. A South Rim, uma das principais, fica a apenas 1h30 de Flagstaff e 4h da capital Phoenix. Recomenda-se que o turista visite por pelo menos 3 dias a atração para que possa conhecer seus belíssimos panoramas, visitando-a de forma mais autêntica. Esta entrada é ótima para grupos grandes ou famílias com crianças, que podem fazer tours de helicópteros, tours guiados em mulas ou carros ou, para os mais aventureiros, escaladas e raftings no imponente Rio Colorado, que corta todo o parque. O valor para visitação tem um ótimo custo-benefício, de apenas 25 dólares válidos por uma semana inteira.
Dentro do parque, próximo à South Rim, estão localizados sete lodges em cima dos canyons e um na parte de baixo. Se hospedar em um deles é uma forma excelente de vivenciar o parque e sua beleza natural ao máximo, do amanhecer até o pôr-do-sol. E por ser uma experiência tão especial, os quartos são muito concorridos e é preciso reservar com bastante antecedência. Caso estejam lotados, é possível também se hospedar na cidade mais próxima, Tusayan, muito bem preparada para receber turistas, com diversos restaurantes e uma vida noturna agitada. Entre os hotéis na região, estão El Tovar, Canyon Plaza Resort e o Red Feather Lodge. Só lembrando que acampamentos não são permitidos.
Uma forma bastante interessante de chegar ao parque (South Rim) é por meio de um trem que sai da cidade de Williams. Famoso por suas excursões temáticas, é uma ótima atração para as crianças. Durante a excursão Polar Express, por exemplo, os pequenos vestem pijamas, tomam chocolate quente e são visitados por ninguém menos do que o Papai Noel.
A North Rim, aproximadamente 30 quilômetros de distância da South Rim, fica aberta entre maio e outubro, dado que durante os meses de inverno a neve impossibilita sua visitação. É uma parte mais intocada do parque, com menos visitações turísticas. Quem prefere lugares mais distantes da civilização e de beleza incomparável não vai querer ir embora. Por ter apenas um lodge dentro do parque nesta região, a acomodação é ainda mais limitada.
Já a West Rim, localizada fora do parque nacional do Grand Canyon, por ser próxima de Las Vegas, é usualmente visitada por quem hospeda-se na cidade. A principal atração da área é a Skywalk, uma ferradura de vidro que serve como ponto de observação dos canyons.
Independente da entrada escolhida, o Grand Canyon é dono de uma beleza tão grandiosa que inspira seus visitantes. Não é por acaso que foi eleito uma das sete maravilhas naturais do mundo.
Fonte: www.zerohora.com

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Paulo Freire

19/09 - Aniversário de Paulo Freire



Paulo Reglus Neves Freire nasceu no dia 19 de setembro de 1921, no Recife, Pernambuco, 
uma das regiões mais pobres do país, onde logo cedo pôde experimentar as dificuldades de 
sobrevivência das classes populares. Trabalhou inicialmente no SESI (Serviço Social da Indústria) e no Serviço de Extensão Cultural da Universidade do Recife. 

Ele foi quase tudo o que deve ser como educador, de professor de escola a criador de idéias e "métodos". Sua filosofia educacional expressou-se primeiramente em 1958 na sua tese de concurso para a universidade do Recife, e, mais tarde, como professor de História e Filosofia da Educação daquela Universidade, bem como em suas primeiras experiências de alfabetização como a de Angicos - RN, em 1963. 

A coragem de pôr em prática um autêntico trabalho de educação que identifica a alfabetização com um processo de conscientização, capacitando o oprimido tanto para a aquisição dos instrumentos de leitura e escrita quanto para a sua libertação fez dele um dos primeiros brasileiros a serem exilados.

Algumas frases de Paulo Freire:

"Não há vida sem correção, sem retificação"

"Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre."

"Se a educação sozinha não pode tranformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda."

"Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão."

"A humildade exprime, uma das raras certezas de que estou certo: a de que ninguém é superior a ninguém."

"Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade."




quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Xenofobia made in America


Miss EUA é vítima de racismo e xenofobia

Nova miss EUA é vítima de comentários racistas e xenófobos. Internautas atacaram origem indiana da vencedora


Segundos depois de ser declarada vencedora do concurso Miss Estados Unidos e receber a coroa reservada às vencedoras da competição, a norte-americana Nina Davuluri começou a ser alvo de uma avalanche de comentários racistas na internet, em especial no microblog Twitter, principalmente em razão de sua etnia.
Nina, de 24 anos, eleita na noite de sábado (14/09) em Atlantic City (estado de Nova Jersey), nasceu na cidade de Fayetteville (Nova York). Primeira norte-americana de origem indiana a ganhar o prêmio, ela não comentou os ataques que recebeu. Filha de um médico, contou em sua rede social que teve de combater a bulimia quando era mais jovem e que sua aspiração é estudar medicina no futuro.
Um dos comentários mais repercutidos no microblog foi do jornalista Todd Starnes, da rede de TV conservadora Fox News. Ele afirmou que “não reconhece o julgamento liberal do [concurso] Miss America, mas a Miss Kansas perdeu porque representa realmente os valores americanos”. Starnes se refere a Theresa Vail, uma das candidatas derrotadas, branca e loira, que se apresentou em trajes militares e disse, durante entrevistas, que gosta de realizar ensaios com temáticas de caça.
Muitos explicitaram seu preconceito através da xenofobia – aparentemente, para estes internautas, a vencedora do concurso deveria ser de origem “genuinamente local”. “Miss America é indiana… com todo respeito, aqui é América!”, disse a internauta identificada como @Savannah_Dale97. “Juro que não sou racista mas aqui é America”, diz @JAyres15 (Jessica Ayres). “Dança Egípcia? Aqui é América. #MissAmerica”, esbraveja @ColtonSEvans.
Outros comentários questionavam: “Se você é Miss America então você não deveria ser americana?”; ou “Quando uma mulher branca ganhará um Miss America?”.
A ignorância geográfica também esteve muito presente entre os críticos. Muitos, sem demonstrar menor conhecimento sobre a origem dos povos, a classificaram como árabe, e não indiana. “E uma árabe vence a Miss América… Clássico”, retrucou @Granvil Colt. “Como o Ca&@#%$ de uma estrangeira vence o Miss América? Ela é árabe! #Idiotas”, diz @jakeamick5 (Jake Amick).
Muitos demonstravam confusão entre árabe, muçulmano, indiano ou estrangeiro: “”Eleger uma muçulmana para Miss America deve ter feito [o presidente Barack] Obama muito feliz”, foi outro comentário muito repercutido. Nina, que não é muçulmana, recebeu o mesmo preconceito de que Obama é alvo desde quando era candidato pela primeira vez à Presidência por opositores radicais – ser muçulmano e não ter nascido em território norte-americano.
Muitos comentário relacionavam a ganhadora com referências à proximidade do 11 de Setembro. “Miss America ou Miss Al Qaeda?”, escreveu @Shann_Wow (Shannon McCann). “Felicitações, Al Qaeda. A Miss America é uma de vocês”, disse @Blayne_MkltRain (De la Rutheford). Já outros questionavam o fato dela ter sido eleita poucos dias após o aniversário do atentado. “11 de Setembro foi há quarto dias e ela ganha o Miss America?”, disse @Luke Brasili (Luke Brasili)”.
No entanto, ela foi defendida por um grande número de internautas norte-americanos, que se indignaram com os comentários preconceitos contra Nina. “Gostaria de pedir desculpas ao mundo, eu juro que nem todos de nós são tão estúpidos”, disse @farGar (Faress Jouejati). E muitos dos que proferiram comentários preconceituosos foram intensamente trolados.
Em 2010, o mesmo episódio se repetiu quando Rima Fakih, de origem libanesa, foi eleita Miss América. Nessa ocasião, os comentários tentaram associá-la ao grupo militante islâmico Hezbollah. A miss universo angolana Leila Lopes, recebeu comentários duríssimos de racismo ao ser coroada em 2011.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

VESTIBULAR DA UFRGS

Inscrições para vestibular da UFRGS começam nesta terça-feira

Vestibulandos terão até 20 de outubro para garantir participação no concurso, que distribuirá 5,4 mil vagas

 
 
Serão abertas nesta-terça-feira as inscrições para o vestibular 2014 da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O prazo se encerra às 23h59min do dia 20 de outubro. As inscrições devem ser feitas exclusivamente no site da UFRGS. A taxa é de R$ 100.
 
O concurso vai oferecer 5.461 vagas em 89 graduações, com 30% das vagas em cada curso reservadas para a política de Ações Afirmativas. Com relação ao processo seletivo deste ano, houve um aumento de 37 vagas, todas distribuídas entre os cursos de Engenharia Química, Engenharia Ambiental e Engenharia de Produção As provas são aplicadas nos dias 5, 6, 7 e 8 de janeiro, nas cidades de Porto Alegre, Bento Gonçalves, Imbé e Tramandaí.
 
Modalidades de ingresso via cotas
> Candidato egresso do Sistema Público de Ensino Médio com renda familiar bruta mensal igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo nacional per capita
> Candidato egresso do Sistema Público de Ensino Médio com renda familiar bruta mensal igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo nacional per capita autodeclarado preto, pardo ou indígena
> Candidato egresso do Sistema Público de Ensino Médio com renda familiar bruta mensal superior a 1,5 salário-mínimo nacional per capita
> Candidato egresso do Sistema Público de Ensino Médio com renda familiar bruta mensal superior a 1,5 salário-mínimo nacional per capita autodeclarado preto, pardo ou indígena

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/vestibular/noticia/2013/09/inscricoes-para-vestibular-da-ufrgs-comecam-nesta-terca-feira-4270702.html

domingo, 15 de setembro de 2013

Greve encerrada, mas a mobilização persiste!


Categoria decide suspender greve e continuar pressionando pelas reivindicações


Professores e funcionários de escola da rede estadual decidiram suspender a greve iniciada no dia 23 de
agosto e continuar a pressão pelas reivindicações da categoria. A decisão foi tomada em assembleia geral realizada na tarde desta sexta-feira 13, no Largo Zumbi dos Palmares, em Porto Alegre.

O entendimento da categoria é de que as respostas do governo não atende as reivindicações da mesma. Ao se negar pagar o piso salarial como vencimento básico das carreiras, o governador Tarso Genro assume governar o Estado à margem da lei e que mentiu para a categoria e para a sociedade gaúcha quando, antes de ser eleito, afirmou que pagaria o piso para os educadores.

 
A greve desmascarou um governo que optou em atender os interesses da elite do Estado em detrimento das reivindicações dos trabalhadores. Um governo que, a exemplo do governo anterior, não teve constrangimentos em colocar a polícia para agredir trabalhadores. Aliás, como aconteceu com a lei do piso, antes de eleito, Tarso havia dito que a polícia não estaria entre o seu governo e os trabalhadores.

Diante da truculência do governo, a greve ganhou a simpatia da população e o amplo apoio dos estudantes, descontentes, sobretudo, com a reforma do ensino médio. Uma reforma com origem nos gabinetes do governo e não a partir de uma ampla e democrática discussão com a comunidade escolar.
 
Entre o conjunto de propostas aprovadas pela assembleia geral estão: o aprofundamento da relação com os estudantes, incentivando a sua organização e apoiando a recuperação de avaliações perdidas; retomar o debate sobre os próximos passos da mobilização, potencializando o saldo organizativo que ficou da greve; e organizar uma ampla avaliação das mobilizações ocorridas durante a greve.



sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A prova da farsa

A promessa do pagamento do piso, na campanha eleitoral, de Tarso Genro
 
Segue abaixo o link do vídeo em que o então candidato a governador, Tarso Genro, promete o pagamento do piso.
Por favor, reserve três minutinhos para ver e ouvir a promessa. Vale a pena!
 
 
 
Você que viu o vídeo, responda, por favor: Estão certos os professores em exigir o pagamento do piso?
 
 
 
 
Fonte: http://blogdomonjn.blogspot.com.br/2013/01/o-pt-gaucho-ontem-e-hoje-parte-3.html

ENEM 2013

Dicas de Atualidades para o ENEM - Geografia
 
Como é de conhecimento de todos, a prova do ENEM de Ciências Humanas exige que se esteja muitíssimo bem informado a respeito do que ocorre no cenário nacional e internacional. Segue abaixo a lista de assuntos de repercussão nacional e internacional que poderá fazer parte das temáticas atuais da prova do ENEM.
Procure ler e se aprofundar mais sobre os assuntos relacionados:

Problemas ambientais: Questões sobre esta temática sempre se fazem presentes nas provas do ENEM, procure se atualizar sobre a renovação do protocolo de Kyoto;
 
Portos brasileiros (privatizações): Foi aprovada uma medida provisória que permite investimentos privados em portos brasileiros, para modernização do setor portuário e dar dinâmica as exportações do Brasil;
 
Nelson Mandela: Está muito doente. Qual a importância desse líder para a África do Sul (Apartheid);
 
Comissão da Verdade: Julgamento de atrocidades militares no período  de 46-88 (Estado Novo e Militar);
 
Morte de Hugo Chávez;
 
Desdobramentos da Primavera Árabe: Síria, Egito e Turquia;
 
Ondas de protestos no Brasil: Vem pra rua;
 
Morte de Margaret Thatcher: Relacionar ao neoliberalismo, inflexibilidade e Malvinas;
 
Crise europeia e as medidas de austeridades fiscais;
 
Entrada da Croácia na União Europeia;
 
Conflitos entre Coréia do Norte e Coréia do Sul
 
Atentado de Boston;
 
Golpe de Estado, no Chile: completou 40 anos em 2013.
 
Prof. Leonardo Lemes. Adaptado de: http://geografiadoalfredo.blogspot.com.br/2013/09/dicas-de-atualidades-para-o-enem.html

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Semana decisiva para a Síria

Relatório da ONU sobre armas químicas será divulgado na segunda

Ministro francês Laurent Fabius

relatório dos inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o uso de armas químicas na Síria provavelmente será publicado na segunda-feira, afirmou o ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius. "Vai dizer que aconteceu um massacre químico", declarou. "Certamente terá indicações sobre a origem do ataque, cometido em 21 de agosto perto de Damasco e que provocou centenas de mortes", completou o chanceler francês.

Fabius disse ainda que o governo sírio é o responsável pelos ataques com armas químicas. "Como apenas o regime tinha os estoques, os vetores e o interesse em fazê-lo, é possível chegar à conclusão de que o governo de Bashar al-Assad é responsável", completou.

A França não tem dúvidas sobre a responsabilidade do governo sírio, mas o presidente russo Vladimir Putin afirma em um artigo publicado nesta quinta-feira no jornal New York Times que foi um crime cometido pelos rebeldes. "Não é verdade. É uma versão que os russos desenvolvem há muito tempo", disse Fabius. "Putin faz seu jogo", completou.

No final de agosto, o grupo de 13 especialistas investigou o suposto uso de armas químicas em um ataque contra um subúrbio da capital síria, por parte do regime do presidente Bashar al-Assad. Segundo a Casa Branca, o ataque contra a população civil deixou 1.429 mortos, incluindo 426 crianças.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Será?

Pelo fim da greve, governo propõe abonar faltas de professores paralisados


O governo estadual propôs, em reunião na manhã desta quarta-feira, o abono das faltas dos professores em greve caso a categoria decida por encerrar a paralisação. No entanto, o Piratini pede que seja apresentado o calendário de recuperação das aulas perdidas e o Cpers/Sindicato retire a ação judicial que move contra o Estado.
Além disso, um encontro marcado para a manhã de quinta-feira deve discutir um projeto de lei que altere a legislação sobre o vale-alimentação do magistério, um dos itens que a categoria pede reajuste. O secretário da Educação, Jose Clovis de Azevedo, ainda tirou dúvidas dos sindicalistas sobre as respostas do governo à pauta de reivindicações dos professores, entregue na última sexta-feira.
A direção do Cpers considera que não houve negociação na reunião, pois "o governo manteve a mesma posição apresentada no documento" e não mostrou "nenhuma proposta de pagamento do piso nacional" e sobre a reforma do Ensino Médio.
O comando de greve vai se reunir agora à tarde para debater sobre o que o governo nos disse. Para encerrar a greve, somente após a convocação de uma assembleia geral. Antes disso, vamos discutir o calendário da semana — afirmou a presidente do Cpers, Rejane de Oliveira.
Integrantes do sindicato e do Bloco de Luta bloquearam as avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas em caminhada durante a manhã após desocuparem a Assembleia Legislativa, no centro de Porto Alegre. Depois, se concentraram em frente à Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), onde ocorreu o encontro. Antes do meio-dia, a manifestação já havia se dispersado.

11/09/1973 - 40 anos depois

Documentos comprovam apoio brasileiro ao golpe militar no Chile

Na última imagem com vida, Allende (ao centro, com capacete e fuzil) aparece junto a assessores no Palácio de La Moneda sitiado, em 1973
Na última imagem com vida, Allende (ao centro, com capacete e fuzil) aparece junto a assessores no Palácio de La Antonio Candido da Câmara Canto sabia que uma conspiração militar para derrubar o então presidente do Chile, Salvador Allende, estouraria naquele setembro.
Há exatos 40 anos, tanques e caças bombardearam o Palácio de La Moneda, de onde Allende saiu morto. Foi o início da vitória do golpe que levou o general Augusto Pinochet ao poder. Era 11 de setembro de 1973.
Embaixador do Brasil no Chile desde 1968, hostil ao governo da coalizão esquerdista Unidade Popular e apreciador de cachimbos, ele frequentava os salões do elegante Club de la Unión, em Santiago. Também cavalgava na companhia de oficiais que orquestraram a queda de Allende.
No dia 8 de setembro, três dias antes do golpe, Câmara Canto vaticinou dias difíceis em telegrama para o Itamaraty: "A situação do Chile nunca esteve tão confusa e, ao mesmo tempo, tão crítica".
O alerta do diplomata consta em arquivos guardados no subsolo do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília. Na véspera do envio do telegrama, ele recebera chefes das forças chilenas na festa de comemoração da Independência brasileira na embaixada. A reunião é considerada por historiadores como momento chave da conspiração.
Zero Hora vasculhou o acervo da correspondência entre o Itamaraty e a embaixada de Santiago de janeiro a dezembro de 1973. Nos documentos, Câmara Canto mostra nítida aversão pelo governo Allende. Termos como "milícias vermelhas" e "hordas marxistas" aparecem em meio a análises político-econômicas que anunciam "sombrias perspectivas para o Chile". Em telegrama de janeiro, ele define como "desenfreada demagogia" as críticas de Allende aos Estados Unidos sobre a Guerra do Vietnã.
O embaixador especula sobre a possibilidade de a esquerda "apelar para via armada a fim de manter o processo de socialização no Chile". Os informes ao longo do ano descrevem atentados às representações de países comunistas e conflitos nas ruas da Capital. "Enfim, a série de ocorrências verificadas nos dois últimos dias me levam a acreditar que, dentro de em breve, o caos assenhorar-se-á do país", alertou o diplomata.
A maioria dos telegramas entre os dias 8 e 13 de setembro de 1973 é classificada e indisponível para consulta. Esses documentos provavelmente revelam os bastidores da decisão brasileira de assistir à posse do governo oriundo do golpe — Câmara Canto foi o único embaixador presente. O próprio Pinochet declarou-se surpreso com a rapidez do reconhecimento brasileiro, somente dois dias após a morte de Allende.
No dia 13, o Itamaraty confirma o envio a Santiago, por via aérea, de 3 mil quilos de medicamentos e 14,4 mil quilos de alimentos. O documento detalha o envio de arroz, açúcar, azeite, leite em pó e café, além de plasma sanguíneo, antibióticos, algodão, ataduras e rolo de raio-X.
Em informe de 17 de setembro, Câmara Canto reconhece que há indefinição sobre a devolução do poder aos civis. Ele considera temerosa a possibilidade de eleições, já que as esquerdas poderiam vencer outra vez.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Tarso, Yeda e a greve do magistério








Brigada partindo pra cima dos professores em frente à casa de Tarso Genro


Brigada partindo pra cima de professores em frente à casa de Yeda Crusius

Qual a diferença entre as duas imagens?

Após ver as imagens de hoje onde professores foram à frente da casa do governador Tarso Genro protestar “armados” com bandeiras e gritos de guerra, e foram tratados de uma maneira truculenta (três professores precisaram de atendimento médico) pela Brigada Militar, chego a uma triste conclusão: não há diferença entre o governo atual e governo anterior no que tange ao desrespeito à classe trabalhadora, em especial, nossos verdadeiros heróis, os professores da rede pública estadual.

Um governo que desrespeita a lei não pagando o piso nacional dos professores, que manda a Brigada bater em professores, jogar spray de pimenta e bombas de efeito moral em professores num protesto pacífico e que corta o ponto de trabalhadores em greve não merece o meu respeito, muito menos o meu voto.

Pensei que isso já era o bastante, porém hoje pela manhã fui informado, na escola onde leciono de dois absurdos. Não cortaram o meu ponto apenas nos dias em que fiz greve. Tive desconto de salário até em dias em que não trabalho na escola e em dois dias em que apresentei atestado médico. Absurdo é pouco.

Lógico que a justiça está aí e com certeza eu procurarei os meus direitos. Mas o que questiono é que tipo de profissional terá orgulho de trabalhar no estado, nessas condições? Isso que nem mencionei os problemas de infraestrutura das escolas. A minha, por exemplo, possui várias salas com portas arrombadas e há falta de folhas, cadeiras e mesas.



                        =







No que diz respeito ao desrespeito pelo profissional da educação, não existe diferença entre esses dois governantes.
Leonardo Lemes