Google+ Followers

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Jogadores negros ameaçam boicotar Copa de 2018

Yaya Touré e outros jogadores negros ameaçam boicotar a Copa do Mundo de 2018


O racismo é algo, infelizmente, fortemente presente no futebol, principalmente no europeu. Na última semana, durante o jogo entre Manchester City e CKSA Moscou, na Rússia, o volante Yaya Touré, da equipe inglesa, foi vítima de racismo por parte dos russos e, indignado, enviou um comunicado à Uefa avisando que, caso providências não sejam tomadas, os jogadores negros boicotarão a Copa do Mundo de 2018, que será realizada na Rússia.

É um problema real aqui, algo que acontece o tempo todo, e é claro que eles precisam resolver o problema antes da Copa do Mundo. Caso contrário, se não tivermos confiança para ir à Copa do Mundo na Rússia, nós não iremos “, disse o marfinense ao “Daily Mail”.
Na Rússia, o CSKA Moscou nega. Segundo dirigentes, Yaya Touré imaginou ter ouvido gritos de “macaco” e também garantiu que não tem responsabilidade sobre o ocorrido nas arquibancadas. “Nada de especial aconteceu. Ninguém mais, além Touré, ouviu alguma coisa”, completou o jogador.
“Depois de termos estudado cuidadosamente o vídeo do jogo, não encontramos insultos racistas de torcedores do CSKA. Em muitas ocasiões, especialmente durante os ataques à nossa meta, torcedores vaiaram e assobiaram para colocar pressão sobre os jogadores rivais, mas, independentemente de sua raça. Por que o meio-campista marfinense tomou como tudo sendo direcionado para ele?’.
Não é o primeiro caso de racismo na Rússia. Jogadores como Roberto Carlos e Eto’o, que defenderam Anzhi, foram vítimas de racismo por parte da própria torcida e dos adversários.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Igreja Mundial pede que fieis finjam que foram curados

Igreja Mundial pede a fiéis que finjam que foram curados de doenças e que são ex-drogados. Objetivo é incentivar o aumento das contribuições financeiras para comprar a MTV

Valdemiro Santiago, líder da IMPD

Uma carta da Igreja Mundial pede a fiéis que, em testemunhos nos programas da TV da igreja e em viagens a templos, finjam que foram curados de doenças e que são ex-drogados ou ex-aleijados, de modo que assim incentivem o aumento das contribuições, o suficiente para ajudar na compra do canal 32, da MTV. A Editora Abril estaria vendendo a emissora por R$ 500 milhões.
O colunista Daniel de Castro, do Uolinformou que várias cópias da carta foram encontradas em uma sala do templo da Mundial da Avenida João Dias, na zona sul de São Paulo. Nela, há um espaço em branco para que o fiel coloque o seu nome [ver reprodução abaixo].
A carta diz que se trata de um pedido “feito diretamente pelo apóstolo Valdemiro Santiago” (foto) e que haverá uma “ajuda de custo” no caso de viagem. Acrescenta que quem não puder colaborar deve destruir o impresso, sem falar dele para ninguém.
A Mundial foi questionada pelo portal Uol, e o bispo Jorge Pinheiro, da direção da igreja, apenas respondeu que “a informação não procede”, deixando de explicar, portanto, a origem das cópias da carta encontradas no templo.
A Mundial está sob forte crise financeira em decorrência, entre outros motivos, de desvio do dízimo por parte de alguns de seus próprios pastores. Um deles seria Josevaldo, que até recentemente era o segundo na hierarquia da denominação. Ele cuidava das finanças e da administração da Mundial. Valdemiro o transferiu para bem longe, Portugal.
De acordo com um porta-voz da Igreja que falou à Istoé, o que houve é que uma “quadrilha de pastores ladrões se infiltrou na Igreja” e que Josevaldo nada tem a ver com isso. Contudo, o ex-segundo da Igreja tem se mantido calado, longe de jornalistas, apesar das insinuações publicadas na imprensa e internet que envolvem o seu nome.
No caso da carta que pede a fiéis que enganem telespectadores, com relatos de curas milagrosas, trata-se de um crime que deveria ser apurado pelo Ministério Público.
Íntegra da carta:

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Mais uma vez, Belo Monte

TRF manda parar obras em Belo Monte


O desembargador Antonio Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), concedeu decisão liminar cancelando a licença parcial para os canteiros de obra da Usina Hidrelétrica Belo Monte. O TRF1 considerou procedente uma ação do Ministério Público Federal (MPF), ajuizada em 2011, que questionava a emissão de licença parcial para os canteiros de obras da usina, contrária a pareceres técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Segundo o MPF, a licença foi concedida sem que as condicionantes da fase anterior, da licença prévia, fossem cumpridas.
Com o licenciamento anulado, as obras devem ser paralisadas enquanto as condicionantes não forem cumpridas. Em caso de descumprimento da decisão, haverá multa de R$ 500 mil por dia. O desembargador ordenou ainda ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que não repasse recursos para Belo Monte enquanto não forem cumpridas as condicionantes. Segundo o TRF, o Ibama, o BNDES e a Norte Energia, empresa responsável pela obra, já foram notificados da decisão.
O desembargador determinou “a imediata suspensão do licenciamento ambiental e das obras de execução do empreendimento hidrelétrico Belo Monte, no estado do Pará, até o efetivo e integral cumprimento de todas as condicionantes estabelecidas na licença prévia, restando sem eficácia as licenças de instalação e as autorizações de supressão de vegetação já emitidas ou que venham a ser emitidas antes do cumprimento de tais condicionantes”, diz a decisão.
A licença prévia impôs seis condicionantes gerais e 40 específicas, que deveriam ter sido cumpridas dentro dos prazos estabelecidos, de modo que a licença de instalação para o canteiro de obras fosse concedida.
Segundo o MPF, não foram cumpridas condições como qualidade da água; construção de equipamentos de saúde, educação e saneamento; navegabilidade do Rio Xingu; e condicionantes indígenas como demarcação de terras e retirada de não índios de terras demarcadas. Mesmo assim, a licença foi concedida pelo Ibama.
Há pouco, o Consórcio Construtor Belo Monte, responsável pelas obras civis do empreendimento, informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que continua com produção normal até o momento. Segundo o consórcio, para que seja paralisada a produção nos canteiros, é necessária uma notificação formal da Norte Energia.
A Norte Energia e o Ibama ainda não se manifestaram sobre a decisão.
Fonte: http://www.sul21.com.br/jornal/todas-as-noticias/geral/trf-manda-parar-obras-em-belo-monte-2/

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Ainda, a usina de Fukushima

Acidente de Fukushima causa uma morte por dia, segundo pesquisador japonês

Uma pessoa morre por dia em decorrência do acidente nuclear na central de Fukushima, no Japão, especialmente devido aos efeitos psicológicos e físicos, informou nesta segunda-feira (28) o ex-presidente do Comitê de Investigação do Acidente na Usina de Fukushima Yotaro Hatamura. Segundo ele, 180 pessoas morreram nos últimos seis meses devido ao acidente de março de 2011.
Para o ex-presidente do comitê japonês, também pesquisador e professor universitário, a crise nuclear no país tem causado estresse, ansiedade e perturbações psicológicas, que, em muitos casos, são piores do que um dano físico. Outro impacto que, de acordo com ele, afeta muito a população, é a retirada das famílias de suas casas, o que gera mudanças repentinas. Estima-se que mais de 150 mil pessoas tenham sido removidas.
“Não se sabe quando parará de morrer gente, tampouco todos os efeitos que o acidente terá na saúde das pessoas” disse Hatamura. Ele acredita que as autoridades japonesas têm se concentrado mais em trabalhar dentro da central do que para resolver as consequências que o acidente teve fora da área diretamente atingida.
O relatório do Comitê de Investigação foi presidido por Hatamura e determinou que a central nuclear não tinha planos de emergência e não estava preparada para reagir a um acidente da magnitude do que ocorreu. De acordo com o ex-presidente do comitê, a má gestão do acidente é uma das causas da contaminação continuada. Recentemente, a passagem de um tufão pela região, no Nordeste do país, causou vazamentos nos tanques de contenção de água contaminada. Houve suspeita de que o solo teria sido contaminado.
Em março de 2011, um terremoto seguido de tsunami atingiu o Japão, causando explosões e vazamentos na região da usina. Áreas inteiras precisaram ser esvaziadas, produtos da região foram proibidos para comercialização e o governo manteve o alerta. Na época do tsunami e do terremoto, o sistema de resfriamento dos reatores foi paralisado, fazendo com que três deles derretessem. Atualmente, o maior desafio da empresa Tokyo Electric Power (Tepco) é armazenar a grande quantidade de água usada para resfriar os reatores, que com certa frequência vaza e deságua no Oceano Pacífico.
Fonte: http://www.sul21.com.br/jornal/todas-as-noticias/mundo/acidente-de-fukushima-causa-uma-morte-por-dia-segundo-pesquisador-japones/

Para a tristeza de alguns, nada de errado no ENEM 2013

Enem 2013 termina sem registro de vazamentos e 36 candidatos eliminados


Dos mais de 7,1 milhões de candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cerca de 29% não compareceram às provas. Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, 5,05 milhões de candidatos fizeram o exame. Os dados são do segundo dia de prova e ainda podem ser revisados para cima. O resultado final da prova será divulgado na primeira semana de janeiro.
As abstenções, segundo Mercadante, têm se mantido constantes desde 2009, quando a taxa chegou a 37,7%. No ano passado, o percentual dos alunos que não fizeram a prova foi 27,9% – dos 5,6 milhões inscritos, 4,17 milhões compareceram. Este ano, número de participantes é recorde, 20% a mais que o de 2012. O crescimento, desde 2009, está em 95%.
Sobre a questão da segurança, o ministro destacou que não houve vazamento. “A segurança foi muito eficiente, não houve qualquer vazamento de qualquer informação, o que é central para garantir a isonomia dos estudantes.”
O MEC informou que 12 candidatos foram eliminados neste domingo (27) por terem usado celulares no local da prova. Eles postaram imagens da prova e do cartão de resposta nas redes sociais. Nos dois dias do Enem, 36 candidatos foram excluídos do exame por esse motivo. A pasta continuará monitorando as redes sociais por tempo indefinido.
O ministro também mencionou as fortes chuvas no Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, além de casos de falta de energia em algumas localidades, fatos que, segundo ele, não prejudicaram a realização do exame.
O Enem foi realizado neste final de semana em 1.161 municípios. O gabarito será divulgado no dia 30 de outubro, na internet, no site do Inep.

sábado, 26 de outubro de 2013

Eleições 2014: Dilma segue imbatível nas pesquisas

A presidente Dilma Rousseff venceria as eleições de 2014 em primeiro turno nos quatro cenários pesquisados pelo Ibope. Confira a pesquisa divulgada hoje


A presidente Dilma Rousseff ganharia as eleições do dia 5 de outubro de 2014 com folga no primeiro turno contra qualquer rival em caso de aspirar a sua reeleição, segundo pesquisa de intenções de voto realizada pelo Ibope e divulgada nesta quinta-feira. Dilma receberia entre 39% e 41% dos votos, mais do que a soma das preferências pelos adversários.
Esta é a primeira pesquisa realizada pelo Ibope desde que a ex-senadora e ex-ministra Marina Silva anunciou sua filiação ao PSB. A legenda ainda não decidiu se lançará Marina ou seu presidente, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos.
Segundo a pesquisa, Campos receberia 10% dos votos, enquanto Marina Silva, terceira candidata mais votada nas eleições presidenciais de 2010, ficaria 21% dos votos.
O senador Aécio Neves, candidato quase certo do PSDB, a maior força da oposição, receberia entre 13% e 14% dos votos.
Em qualquer caso, Dilma derrotaria qualquer adversário em um hipotético segundo turno. A atual presidente seria reeleita com margens de entre 42% e 47% dos votos, e a rival melhor posicionada seria Marina Silva, que seria a favorita de 29% dos eleitores em um hipotético segundo turno.
A pesquisa tem uma margem de erro de dois pontos percentuais e foi feita entre os dias 17 e 21 de outubro, com perguntas a 2.002 eleitores em 143 municípios de todo o País.

Cenário A:

Dilma Rousseff 41%
Aécio Neves 14%
Eduardo Campos 10%
Dilma 41% – Adversários 24%

Cenário B

Dilma Rousseff 39%
Marina Silva 21%
Aécio Neves 13%
Dilma 39% – Adversários 34%

Cenário C

Dilma Rousseff 40%
José Serra 18%
Eduardo Campos 10%
Dilma 40% – Adversários 28%

Cenário D

Dilma Rousseff 39%
Marina Silva 21%
José Serra 16%
Dilma 39% – Adversários 37%

terça-feira, 22 de outubro de 2013

SIMULADO ENEM ON LINE

Teste seus conhecimentos


Faça questões de anos anteriores e prepare-se para a prova, que ocorre nos dias 26 e 27 de outubro

Acesse o link:

Concurso do Magistério RS 2013

Sai classificação final de concurso do magistério


Mais de 13 mil candidatos foram aprovados

A Secretaria da Educação (Seduc) do Rio Grande do Sul divulgou nesta terça-feira a classificação final de aprovados no concurso do magistério. A relação de nomes também foi publicada no Diário Oficial do Estado e está disponível no site da Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH).
Confira a lista:
As provas do concurso público foram aplicadas em 19 de maio deste ano. A nota final é composta pela nota obtida nas provas objetivas, equivalente a 80% do total, e a nota da prova de títulos, que compõe os 20% restantes.

Conforme o edital, a nomeação dos novos professores ficará sob a responsabilidade da Seduc, que definirá os prazos. Os candidatos serão informados previamente por meio de correspondência oficial e pelo site do concurso público sobre os procedimentos que serão adotados para nomeação e posse.

Questão anulada

Em setembro, uma questão da prova objetiva do concurso foi anulada e resultou na aprovação de mais 2.355 professores. Com isso, o número de professores classificados no processo seletivo havia subido de 10.747 para 13.102. O concurso público reuniu mais de 66 mil inscritos, com 8% de abstenção.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Geografia da América Latina

Líder do Aerosmith chama o presidente uruguaio de "exemplo poderoso"
Steven Tyler chama José Pepe Mujica de “exemplo poderoso” e de “um dos melhores presidentes da América”. Para Tyler, líder da banda, presidente uruguaio é “um lutador pela liberdade”

A banda Aerosmith foi recebida na última semana na sede do governo uruguaio pelo presidente José Mujica, e o chamou de “exemplo poderoso” e de “um dos melhores presidentes da América”.
O Aerosmith, que se apresentou no Estádio Centenário de Montevidéu, presenteou o líder de 78 anos com uma guitarra autografada, e os músicos receberam abraços do presidente.
Após o encontro, o líder da banda, Steven Tyler, afirmou que Mujica “vive da maneira que prega, doa seu salário aos pobres, constrói casas para o povo e briga pela liberdade; é um exemplo poderoso”.
“Achamos que é um dos melhores presidentes da América”, afirmou Tyler à Secretária de Comunicação da Presidência do Uruguai.
O vocalista também se referiu ao debate que Mujica promove para que o Parlamento uruguaio legalize a produção e a venda de maconha: “Achamos que esse pequeno país está em uma boa direção”, assegurou.
Para Tyler, Mujica é “um lutador pela liberdade”, uma característica que seu grupo compartilha “em muitos aspectos”, embora em seu caso “com música”.
Mujica é considerado por alguns meios de imprensa internacionais “o presidente mais pobre do mundo”,já que dos aproximadamente US$ 12 mil que recebe, cerca de 9.300 são destinados à construção de moradias sociais, enquanto vive em uma humilde chácara que transformou em residência presidencial.

sábado, 19 de outubro de 2013

Horário de verão evitará gasto de R$ 4,6 bilhões em investimentos em energia

Horário de verão evitará gasto de R$ 4,6 bilhões em investimentos em energia

A adoção do horário de verão no período 2013-2014 representará uma economia de R$ 4,6 bilhões em investimentos que deixarão de ser feitos em geração e transmissão de energia, e de R$ 400 milhões sem o acionamento de usinas térmicas. A estimativa do governo federal foi anunciada nesta quarta-feira (16) pelo secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grüdtner.
No horário de pico, entre as 18h e as 21h, a redução na demanda será 2.065 megawatts (MW) no sistema das regiões Sudeste/Centro-Oeste. Na Região Sul, a redução será 630 MW. Nos dois sistemas, que abrangem as três regiões, a redução da demanda nos horários de pico ficará entre 4,5% e 5%, enquanto a redução de consumo geral do sistema será em média 0,5%.
O horário de verão – que terá início à zero hora do próximo domingo (20) e terminará à zero hora do dia 16 de fevereiro – será adotado no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, no Paraná, em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Espírito Santo, em Minas Gerais, em Goiás, em Mato Grosso, em Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.
Segundo Grüdtner, a medida possibilita melhor aproveitamento da luz solar. ”Com isso, evita-se investimento em geração e transmissão, [custo] que iria para a tarifa, e o acionamento de usinas térmicas para suprir o consumo de energia”, disse o secretário. “Não é o governo que economiza [com o horário de verão]. É a sociedade. Em termos de geração evitada, serão cerca de R$ 400 milhões [a serem economizados]; e em termos de investimentos, R$ 4,6 bilhões.”
No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932 pelo então presidente Getúlio Vargas. A medida é adotada sempre nesta época do ano, quando os dias são mais longos por causa da posição da Terra em relação ao Sol. No fim do ano, há também um aumento na demanda por energia, resultante do calor e do crescimento da produção industrial devido ao Natal.
Na última temporada (2012/2013), o horário de verão gerou economia de 4,5% no período de pico nos estados em que foi adotado.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Mapa da desigualdade social

Mapa da desigualdade em 2013: 0,7% da população detém 41% da riqueza mundial

Cinco anos depois do início da crise econômica mundial, marcada pela quebra do banco norte-americano Lehamn Brothers, os indicadores financeiros seguem apontando para uma concentração da riqueza ao redor do globo. De acordo com o relatório “Credit Suisse 2013 Wealth Report”, um dos mapeamentos mais completos sobre o assunto divulgados recentemente, 0,7% da população concentra 41% da riqueza mundial.
Em valor acumulado, a riqueza mundial atingiu em 2013 o recorde de todos os tempos: US$ 241 trilhões. Se este número fosse dividido proporcionalmente pela população mundial, a média da riqueza seria de US$ 51.600 por pessoa. No entanto, não é o que acontece. Veja abaixo o gráfico da projeção de cada país se o PIB fosse dividido pela população:

A Austrália é o país com a média de riqueza melhor distribuída pela população entre as nações mais ricas do planeta. De acordo com o estudo, os australianos têm média de riqueza nacional de US$ 219 mil dólares.
Apesar de serem o país mais rico do mundo em termos de PIB (Produto Interno Bruto) e capital produzido, os EUA têm um dos maiores índices de pobreza e desigualdade do mundo. Se dividida, a riqueza dos EUA seria, em média, de mais de US$ 110 mil dólares. No entanto, é atualmente de apenas US$ 45 mil dólares – menos da metade.
Entre os países com patrimônio médio de US$ 25 mil a US$ 100 mil, se destacam emergentes como Chile, Uruguai, Portugal e Turquia. No Oriente, Arábia Saudita, Malásia e Coreia do Sul. A Líbia é o único país do continente africano neste grupo. A África, aliás, continua com o posto de continente com a menor riqueza acumulada.
Mesmo com o crescimento da riqueza mundial, a desigualdade social continua com índices elevados. Os 10% mais ricos detêm atualmente 86% da riqueza mundial. Destes 0,7% tem posse de 41% da riqueza mundial.
Veja no gráfico abaixo a pirâmide da riqueza. Apenas 0,7% da população detém US$ 98,7 trilhões de dólares:
Os pesquisadores da Credit Suisse também fizeram uma projeção sobre o crescimento dos milionários ao redor do mundo nos próximos cinco anos. Polônia e Brasil, com 89% e 84% respectivamente, são os países que mais vão multiplicar seus milionários até 2013. No mesmo período, os EUA terão um aumento de 41% do número de milionários, o que representa cerca de 18.618 de pessoas com o patrimônio acima de 1 milhão de dólares.
Em meados deste ano, a OIT (Organização Internacional do Trabalho) divulgou um estudo sobre o crescimento da desigualdade social nos países desenvolvidos, como consequência da crise financeira.
A organização diz que o número de pobres cresceu entre 2010 e 2011 em 14 das 26 economias desenvolvidas, incluindo EUA, França, Espanha e Dinamarca. Nos mesmos países, houve forte aumento do desemprego de longa duração e a deterioração das condições de trabalho. Atualmente, o número de desempregados no mundo supera os 200 milhões.
Em contrapartida, entre os países do G20, o lucro das empresas aumentou 3,4% entre 2007 e 2012, enquanto os salários subiram apenas 2,2%.
Segundo informações da imprensa europeia, na Alemanha e em Hong Kong, os salários dos presidentes das grandes empresas chegaram a aumentar 25% de 2007 a 2011, chegando a ser de 150 e 190 vezes maiores que o salário médio dos trabalhadores do país. Nos Estados Unidos, essa proporção é de 508 vezes.
América Latina
Na contramão das grandes potências, a situação econômica e social da América Latina melhorou. Entre 2010 e 2011, 57,1% da população dos países da região estava empregada, um ponto percentual a mais que em 2007, último levantamento antes da crise financeira internacional.
Em alguns países, como Colômbia e Chile, o aumento superou quatro pontos percentuais. Com o aumento do trabalho assalariado, cresceu também a classe média. Na comparação entre 1999 e 2010, a população dentro do grupo social cresceu 15,6% no Brasil e 14,6% no Equador.
No entanto, a OIT destaca que a região ainda enfrenta como desafios a desigualdade social, maior que a média internacional, e o emprego informal. A média da região é de 50%, sendo que em países mais pobres, como Bolívia, Peru e Honduras, supera os 70%.
Em todo o mundo, a organização afirma que há mais de 200 milhões de desempregados. A expectativa é que, ao final de 2015, esse número chegue a 208 milhões.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Ipea estima que Bolsa Família reduziu miséria em 28% em 2012

Geografia do Brasil

Ipea estima que Bolsa Família reduziu miséria em 28% em 2012


Uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) revela que o programa Bolsa Família, desde sua criação, há 10 anos, ajudou a reduzir a pobreza extrema pobreza do país em 28%. Esse imenso avanço custa pouco. O investimento do governo federal previsto para o programa, em 2013, é de R$ 24 bilhões, o que representa 0,46% do Produto Interno Bruto (PIB).
O programa hoje atende cerca de 13,8 milhões de famílias, o que corresponde a quase 80 milhões de pessoas. Desses, 22 milhões saíram da situação de miséria, superando o patamar de R$ 70 reais por mês. Os dados também mostram que a renda dos mais pobres cresceu quatro vezes mais rápido do que a renda dos mais ricos.
Pelos dados apresentados, entre 2002 e 2012, a proporção de brasileiros vivendo com menos de R$ 70 caiu de 8,8% para 3,6%. Sem a renda proporcionada pelo Bolsa Família, a taxa de extrema pobreza seria de 4,9%, ou seja, 36% maior que a atualmente observada.
Cada real adicional que é gasto no Bolsa Família impacta a desigualdade em 369% a mais do que o gasto com a previdência social e 86% a mais do que o Benefício de Prestação Continuada (BPC).
Não bastasse sua importância social para as famílias, o programa proporciona ganhos econômicos para o país. A cada 2% gasto com o Bolsa Família, 12,5% retornam em benefício para a população. É o chamado efeito multiplicador para a economia. De cada R$1,00 gasto no Bolsa Família, a economia faz girar R$ 2,40.
Além dessas conclusões, o Bolsa Família é reconhecido internacionalmente por levar e fixar crianças nas escolas, com melhorarias no desempenho escolar desses alunos, e por reduzir a mortalidade infantil.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Joaquim Barbosa X Tarso Genro

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA CRITICA ESTADOS QUE ENTRARAM COM AÇÃO CONTRA O PAGAMENTO DO PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFESSORES E DIZ QUE RIO GRANDE DO NÃO É POBRE



O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, criticou nesta segunda-feira os seis Estados que ingressaram com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra o índice de correção do piso nacional do magistério, durante palestra sobre o tema "Avanços e retrocessos institucionais", na Conferência Global de Jornalismo Investigativo, no Rio de Janeiro. Joaquim Barbosa afirmou que o tema já foi alvo de apreciação do Supremo, com decisão favorável à legislação: "Nós já julgamos, eu inclusive fui o relator, uma outra Adin contra a lei do piso. Foi uma proposição de vários governadores. O Supremo disse: 'A lei é constitucional. O governos têm de pagar". 

Na sequência, Joaquim Barbosa não poupou críticas ao governo do Rio Grande do Sul, comandado pelo peremptório petista Tarso Genro: "Alguns estados já pagam. Mas outros, surpreendentemente, alguns governadores dos quais não se esperava isso, se recusam terminantemente a pagar o piso, como é o caso, por exemplo, do Rio Grande do Sul, que não é um Estado pobre". Governadores alegam que a correção do piso nacional do magistério pelo índice Fundeb, que tem girado em torno de 20% anualmente, torna o padrão salarial impagável devido à repercussão financeira. A Adin, que tem o Rio Grande do Sul como um de seus autores, pede que o indexador do piso seja a inflação, com a discussão de ganho real ficando restrita a uma negociação entre o Executivo e a categoria, de acordo com a capacidade de caixa do poder público. É a tese defendida pelo peremptório petista Tarso Genro, ironicamente o ministro da Educação à época da aprovação da lei.



Encontrado cheio de sangue fóssil de mosquito de 46 milhões de anos

Segundo pesquisador, trata-se de "um fóssil extremamente raro, o único do tipo no mundo"


Jurassic Park?
Um raro fóssil de mosquito, com 46 milhões de anos e a barriga cheia de sangue seco, foi encontrado no leito de um rio no estado americano de Montana, revelaram cientistas nesta segunda-feira.
Trata-se de "um fóssil extremamente raro, o único do tipo no mundo", disse Dale Greenwalt, principal autor do estudo publicado no periódico National Academy of Sciences. Instrumentos inovadores detectaram vestígios inconfundíveis de ferro em seu abdômen cheio de sangue, mas de qual criatura provinha o sangue é um mistério, uma vez que o DNA não pode ser extraído de um fóssil tão antigo.
No filme "Jurassic Park - Parque dos Dinossauros", de 1993, cientistas extraem DNA de dinossauro do abdômen de um mosquito preso em âmbar, uma resina vegetal. Não só a cena é ficcional, já que ninguém conseguiu extrair DNA de um fóssil tão antigo, como Greenwalt disse que o mosquito exibido no filme era um macho, e mosquitos machos não se alimentam de sangue.
Para Greenwalt, bioquímico que trabalha como voluntário no Museu Smithsonian de História Natural em Washington, o sangue encontrado no fóssil pode ter sido de uma ave, já que o mosquito ancestral lembra um inseto moderno do gênero 'Culicidae', que gosta de se alimentar de nossos amigos emplumados.
Embora seja muito mais "jovem" que o mais antigo fóssil de mosquito conhecido (honra que recai sobre um mosquito de 95 milhões de anos preso em âmbar e encontrado em Mianmar), para o entomologista Lynn Kimsey, da Universidade da Califórnia, esta é "uma descoberta muito excitante".
- Ter uma fêmea de mosquito de verdade cheia de sangue associada com machos na mesma formação fóssil é altamente improvável - disse Kimsey, que não participou da pesquisa.
- Aqui, os autores conseguiram usar espectrômetro de massa para elucidar o conteúdo abdominal e, consequentemente, a dieta de sangue em um fóssil com cerca de 40 milhões de anos - acrescentou, descrevendo a pesquisa como "impressionante".
Greenwalt disse ter ficado fascinado com insetos fossilizados alguns anos atrás. Ele se informou sobre o assunto com o estudante de mestrado Kurt Constenius, que descreveu suas descobertas de insetos fossilizados ao longo de um leito de rio remoto de Montana, em um obscura publicação geológica mais de duas décadas atrás.
O fóssil descrito no periódico PNAS não resultou das expedições de Greenwalt, mas de uma coleção de insetos fossilizados que estavam esquecidos no porão de Constenius desde 1980, e que ele e sua família tinham doado para o museu Smithsonian.
O mosquito em si mede apenas 0,2 polegada (0,51 cm). De alguma forma, a frágil criatura comeu sua última refeição, preenchendo seu abdômen até quase explodir como um balão.
Então, talvez quando o mosquito sobrevoava um lago repleto de algas, ele tenha ficado preso neste muco, sido envolvido por micróbios que impediram sua degradação e, finalmente, acabou afundando, ficando preso no sedimento no fundo do lago.
Três dúzias de fósseis de mosquito foram coletadas no sítio de fósseis do noroeste de Montana, mas nenhum outro apresentou sinais de conter sangue. Especialistas usaram uma técnica denominada espectrometria de massa não destrutiva para identificar a fonte do ferro em seu abdômen como heme, molécula ferruginosa que permite à hemoglobina do sangue transportar oxigênio. Contudo, o método só pode ser usado em superfícies planas e não seria útil para analisar mosquitos preservados em âmbar, afirmou.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Geografia politizada

PTB, PMDB e PSD são os partidos que mais receberam dinheiro de escravocratas

A partir do cruzamento de dados do Cadastro de Empregadores flagrados com trabalho escravo, mantido pelo Ministério do Trabalho e Emprego e pela Secretaria Especial de Direitos Humanos (mais conhecido como a “lista suja” do trabalho escravo) e as informações de doadores de campanhas eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral, organizadas pelo Portal Às Claras, mapeamos todos os candidatos e partidos beneficiados entre 2002 e 2012 por empresas e pessoas flagradas explorando trabalhadores em condições análogas à escravidão. PTB e PMDB são os partidos que mais receberam dinheiro dos atuais integrantes da “lista suja” no período e o recém-criado PSD é o que mais recebeu dinheiro na eleição de 2012.


PTB e PMDB são os partidos que mais receberam dinheiro dos atuais integrantes da “lista suja”. (Infográgico Stefano Wrobleski/Repórter Brasil)
Ao todo, 77 empresas e empregadores flagrados explorando escravos que constam na lista atual fizeram doações a políticos, o que equivale a 16% dos 490 nomes. Eles movimentaram R$ 9,6 milhões em doações, em valores corrigidos pela inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O levantamento mostra que os quase R$ 10 milhões se distribuem entre 23 partidos políticos, considerando as doações feitas aos seus candidatos ou diretamente às agremiações, através de seus diretórios regionais. Como a inclusão de um nome na “lista suja” demora em função do processo administrativo decorrente do flagrante, no qual quem foi autuado tem chance de se defender, e considerando que, em linhas gerais, as doações eleitorais são fruto de relações prolongadas e não pontuais, a Repórter Brasil incluiu mesmo doações feitas em pleitos anteriores à inclusão no cadastro. O levantamento informa as doações dos atuais integrantes da relação, e não de todos os que já passaram por ela.
Já o PMDB, segundo colocado entre os partidos que mais receberam de escravocratas, teve como beneficiárias 40 candidaturas ao longo dos dez anos estudados. O valor de  R$ 1,9 milhão contribuiu para que 12 prefeitos, seis vereadores e três deputados federais fossem eleitos. Somente o produtor rural José Essado Neto doou R$ 1,6 milhão ao partido, que o abrigou por três pleitos até alcançar o cargo de suplente de deputado estadual em Goiás em 2010, quando declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 4,3 milhões em bens. Ele entrou na “lista suja” do trabalho escravo em dezembro de 2012, depois de ser flagrado superexplorando 181 pessoas.
Doações ocultasNo Brasil, a lei eleitoral exige que os candidatos prestem contas e deixem claro quem financiou suas campanhas. Deve ser discriminado, também, todo o montante que veio do próprio candidato – as chamadas “autodoações”. Dos R$ 9,6 milhões gastos por escravocratas em campanhas eleitorais, R$ 2,3 milhões – ou quase um quarto do total – vieram de 19 pessoas nessa situação, ou seja, políticos flagrados com trabalho escravo que doaram a si mesmos. O recurso, no entanto, dá margem para corrupção, permitindo que os pleiteantes a cargos eleitorais sejam financiados “por fora” e injetem o valor na campanha como se fosse proveniente do seu próprio bolso, ainda que não seja possível presumir que seja esse o caso dos políticos da relação.
Outro possível artifício para se ocultar a quais candidatos serão direcionadas os recursos é a doação aos diretórios partidários, como explica a reportagem de Sabrina Duran e Fabrício Muriana para o projeto Arquitetura da Gentrificação sobre a atuação da bancada empreiteira na Câmara dos Vereadores de São Paulo. Por meio dessa modalidade, os valores são distribuídos pelo partido ao candidato, sem que o próprio partido tenha de prestar contas e informar de quem recebeu o dinheiro. Os integrantes da “lista suja” do trabalho escravo usaram esse expediente em 36 ocasiões diferentes, totalizando R$ 1,3 milhão, valor cujo destino não é possível ser conhecido.
Escravocratas e ruralistasEntre os que têm defendido publicamente proprietários de empresas e fazendas flagradas explorando trabalhadores em condições análogas às de escravos no Congresso Nacional estão integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária, a chamada Bancada Ruralista. Os integrantes de tal frente pertencem a partidos que estão entre os que mais receberam dinheiro de escravocratas.
votação na Câmara dos Deputados da PEC do Trabalho Escravo, que determina o confisco de propriedades em que for flagrado trabalho escravo e seu encaminhamento para reforma agrária ou uso social, é um exemplo de como o interesse dos dois grupos muitas vezes converge. Dos seis deputados federais em exercício na época da aprovação da proposta na Casa que foram financiados por escravocratas, três se ausentaram da votação, conforme é possível ver no quadro ao lado. Três votaram pela aprovação.
Em outros casos, tais associações também ficam evidentes, como no processo de flexibilização da legislação ambiental com a reforma do Código Florestal. A mudança, que diminuiu a proteção às florestas nativas e foi aprovada em abril de 2012, teve apoio dos seis partidos que mais se beneficiaram com doações de escravocratas e que, juntos, receberam R$ 7,9 milhões, ou 82% do total (confira o placar da votação da reforma do Código Florestal no site do O Eco).
Outras empresasO levantamento levou em consideração a “lista suja” do trabalho escravo tal qual sua última atualização, de 17 de setembro, o que exclui empresas que forçaram suas saídas da relação através de liminar na Justiça, como a MRV, e outras que devem entrar em atualização futura, como a OAS.
Nos dois últimos anos, a MRV foi flagrada em quatro ocasiões diferentes – emAmericana (SP)Bauru (SP)Curitiba (PR)Contagem (MG) – explorando trabalhadores em condições análogas às de escravos. A empresa é uma das maiores construtoras do Minha Casa, Minha Vida, programa do governo federal de moradias populares instituído em 2009. Nas eleições de 2010 e 2012, a construtora doou um total de R$ 4,8 milhões a candidatos e partidos políticos, em valores corrigidos pela inflação.
Já a OAS foi autuada no mês passado por escravizar 111 trabalhadores nas obras de ampliação do Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo. Terceira empresa que mais fez doações a candidatos de cargos políticos entre 2002 e 2012, a empreiteira desembolsou R$ 146,6 milhões (valor corrigido pela inflação) no período. A OAS também faz parte do consórcio que venceu a licitação para a concessão do Aeroporto de Guarulhos à iniciativa privada no ano passado.

Fonte:http://www.sul21.com.br/jornal/todas-as-noticias/politica/ptb-pmdb-e-psd-sao-os-partidos-que-mais-receberam-dinheiro-de-escravocratas/

Feliz dia do Professor!

Professor ontem e hoje

Por Juremir Machado da Silva

Dia do professor. Eu sou um deles. Professor universitário. Adoro o que faço. Fico impressionado com a renovação de nossas energias. A cada semestre, tudo recomeça. Patinamos um pouco. E lá vamos nós. Depois de algum tempo de férias, bate a saudade dos alunos, das aulas, da rotina escolar.
Há muitos mitos em torno da vida de professor.
É certo que ser professor de universidade e ser professor de ensino fundamental ou médio, principalmente em certos lugares, é muito diferente.
O primeiro mito é que os alunos de antes eram melhores.
Em quê?
Em alguns matérias, com certeza. Em latim? Em cultura geral? O aluno de hoje tem acesso a uma carga de informações jamais vista. Em 1980, uns dez por cento dos alunos chegavam a curso de jornalismo falando inglês. Essa proporção hoje é muito maior. Durante muito tempo, a universidade esteve restrita às elites. Havia um saber padrão trazido de casa. Hoje o ensino está mais democrático. Isso abre espaço para alunos com formação de base mais deficiente. Em contrapartida, as tecnologias da informação despejam todo tipo de conteúdo em cima de todos e suprem lacunas como nunca antes.
Mudaram os métodos e certos conteúdos. O que se precisa saber?
O ensino de antigamente era baseado na decoreba.
Inteligente era quem tinha uma excelente memória.
Quem falava três línguas era considerado gênio.
Quem sabia a lista dos imperadores romanos era um “cabeção”.
Não funciona mais assim. A memória artificial acabou com a importância da memória natural. Importante é ter boa cultura e saber procurar.
Outro mito se refere à suposta falta de respeito dos alunos.
No popular, aluno bate em professor.
Antigamente professor batia em aluno.
A sala de aula era o reduto de um mestre autoritário, despótico, ditador, um tirano que punia com palmatória e, depois dela, com castigos e humilhações: colocava atrás da porta, de joelhos, em cima do grão de milho, expulsava da sala de aula, usava palavras duras, insultava, berrava, pisoteava.
Eu vi isso em sala de aula. Eu fui para trás da porta. Eu vi meus colegas de joelhos no canto da sala. Eu vi um colega no grão de milho. Eu vi um aluno com chapéu de burro. Na semana da pátria, aluno desfilava como soldado. Não podia errar o passo. Marchava como um soldadinho da ditadura.
O aluno era adestrado por professores tirânicos.
Exagero? Foi na pré-história? Não. Há menos de 50 anos quase tudo isso ainda existia. O professor não podia ser questionado. É possível que, em certas situações atuais, o aluno não possa ser questionado e humilhe o professor.
Estamos em busca do equilíbrio.
Na minha experiência de professor só tenho encontrado alegria: alunos carinhosos, afetivos, gentis, inteligentes, questionadores e amigos.
Sempre pode ter algum diferente. São jovens, na flor da idade, cheios de energias, de dúvidas, de tantas coisas para ver e fazer. Eu os entendo.
O mundo mudou.
O professor de antigamente não era um tirano por querer. Refletia o seu tempo. A família também era assim. O pai era o chefe autoritário da família. Articulava carinho com despotismo. Impunha-se como um rei furioso.
Eu vi um pai obrigar o namorado a casar com a sua filha, com um revólver na cabeça do rapaz, por ter descoberto que eles andavam tendo relações sexuais.
Muitos sentem saudades desse tempo idílico do autoritarismo e de violência. É mais difícil ser pai e professor nestes tempos atuais de negociação e de limites à autoridade. O respeito agora deve ser recíproco. O diálogo se impõe.
Um professor hoje só se faz respeitar pela competência, pela capacidade de dialogar, pela arte de transmitir saber e por ser capaz de ouvir e discutir.
Pela disciplina autoritária ninguém mais se faz admirar ou respeitar.
Só vale a hierarquia do convencimento, do envolvimento, da competência.
Aprender não é sofrer. É sentir prazer. Nem tudo pode ser divertido. Mas nada precisa ser feito na base dos castigo e das reprimendas raivosas.
Impor limites é, antes de tudo, limitar o poder da disciplina arbitrária.
Ser professor é maravilhoso. Um desafio que se renova com o tempo.
Nossas escolas foram durante a maior do tempo excludentes. Só agora os não brancos começam a entrar realmente em certos cursos antes reservados, sob a suposta cobertura do mérito, para os filhos dos donos do poder. Era a reprodução da desigualdade por meio da meritocracia dissimulada. Não havia igualdade de preparação. Em consequência, não havia igualdade de disputa.
E, grosso modo, ainda não há.
Mas uma fresta se abriu com as cotas.
O mundo universitário está ficando mais colorido.
O universo escolar está mais complexo.
Só os simplistas juram que o passado era melhor.
Melhor para quem?
O melhor presente para os heroicos professores é salário melhor.
Quem diz que o salário não é o principal, manipula, mente, falseia. O professor é tudo. É a base de todas as outras profissões baseadas em educação formal. Os salários no ensino fundamental e médio continuam ínfimos.
Não dá para pagar mais?
Dá. Mas para isso a sociedade precisa redefinir as suas prioridades.

sábado, 12 de outubro de 2013

Metrô em Porto Alegre: Agora vai

Dilma anuncia investimentos para metrô de Porto Alegre e entrega motoniveladoras

Fonte: www.zerohora.com

Dando continuidade à agenda que cumpre no estado do Rio Grande do Sul, a presidenta Dilma Rousseff anuncia hoje (12) investimentos em Porto Alegre do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na área de mobilidade e entrega motoniveladoras a prefeituras do estado. Ontem (11), a presidenta inaugurou quatro creches e participou da formatura de 1.152 estudantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) na cidade gaúcha de Novo Hamburgo.
Na cerimônia, que ocorre na Assembleia Legislativa do estado, Dilma anunciará investimentos do governo para a construção de extensões do metrô de Porto Alegre. Serão anunciados R$ 4,8 bilhões para a realização do projeto, dos quais R$ 3,54 bilhões virão de recursos do governo. Segundo a presidenta Dilma, o montante de R$ 1,7 bilhão virá do Orçamento da União e o restante será financiado, sendo 61% de responsabilidade do governo gaúcho e 39% do governo da capital.
“Vamos colocar financiamentos da União, e [investimentos] com juros subsidiados”, informou Dilma em entrevista a quatro emissoras de rádio locais, concedida ontem após pousar em Canoas (RS).
De acordo com a prefeitura de Porto Alegre, o valor de R$ 1,3 bilhão restante será provido por investimento privado, via parceria público-privada (PPP). Segundo matéria veiculada no site do município, o prefeito José Fortunati disse que a previsão é que as obras comecem no segundo semestre do ano que vem, com previsão de conclusão em 2018 ou 2019.
A presidenta Dilma informou ainda que o dinheiro que será aplicado no trecho provém  dos novos investimentos para a mobilidade anunciados após as manifestações de junho, quando R$ 50 bilhões foram prometidos para que se cumprisse o quinto pacto acordado pelo governo na ocasião. “Nós tínhamos gasto R$ 89 bilhões no PAC Mobilidade e gastaremos mais R$ 50 bilhões. A prioridade é para quem já tem projeto”, disse.
Além dos investimentos, a cerimônia marca a entrega de 57 máquinas motoniveladoras para prefeituras do Rio Grande do Sul. Os recursos que viabilizaram a compra dos equipamentos são da segunda etapa do PAC. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), 57 municípios com até 50 mil habitantes serão contemplados com o maquinário, que deve beneficiar 40 mil famílias de agricultores familiares. Segundo o ministério, o evento de hoje marca o recebimento de 565 equipamentos pelo estado que equivalem a investimentos de R$ 115 milhões.
Fonte: www.sul21.com.br